LIVRO Um Aceno e Eis a Civilização PDF Rogerlando Cavalcante

BAIXAR LIVRO ONLINE

Resumo

O poeta cita gestos cotidianos de pessoas conhecidas que se cumprimentam: “Ergue a mão, mexe a cabeça, olha apenas/ Gente passa e sempre me cumprimenta”. (…)Para o poeta o ser cabe num “aceno” – e cada indivíduo representa a humanidade em geral (“eu a todos/Soo”) e uma civilização em particular: (…)“Os tenho na alma e a alma se volta e acena” – esse único verso diz tudo.