LIVRO Os olhos da solidão PDF Eugenio Benito Junior

BAIXAR LIVRO ONLINE

Resumo

Esse romance recria o mito grego de Níobe num cenário contemporâneo. Níobe, no mito original, é mãe de sete filhas e sete filhos e desafia o poder da deusa Leto, mãe dos deuses Ártemis e Apolo, se dizendo mais fértil do que a divindade, reclamando para si as celebrações que eram feitas em honra da deusa. Para encerrar a questão, Leto manda matar os quatorze filhos de Níobe, que passa a verter um pranto sem fim até que os deuses todos se apiedam da história dela e a transformam numa fonte.Stella, a Níobe revivida em Os olhos da solidão, tem sua história contada por vários autores, através de um manuscrito inacabado que vai passando de mão em mão até que se complete o mito original de Níobe, realçando o fato de os mitos serem uma versão inequívoca da condição humana.Os quatro autores da história de Stella, Daniel – funcionário de uma editora, Flor – uma prostituta, Agenor – um office-boy e Dona Lupe – futura sogra de Daniel, revelam ao leitor a profunda solidão em que cada um vive, que só encontra eco no mito que se desenrola no texto que produzem.Daniel Taghieri, funcionário de uma editora, acha o texto inicial junto ao corpo de uma vítima fatal de um acidente automobilístico, adiciona um pouco de sua alma à história, estimulado pela experiência vivida no inferno provocado pela mãe de Beatriz, sua amada. Um vírus invade o computador em que escreve a história de Stella e Daniel perde todo o texto. Quem o recebe é Flor, uma prostituta que, ao remexer os segredos da dona do bordel em que mora, abre o e-mail com o arquivo roubado de Daniel.A moça se encanta com as aventuras de Stella, adiciona sua parte, revê a sua vida enquanto escreve a continuação da história e, confusa pela crise que esse texto provoca em seu cotidiano, perde o manuscrito no metrô. Quem o acha é Agenor, que faz dele uma alavanca para melhorar sua vida de office-boy e estabilizar o relacionamento afetivo com Lisete, sua namorada suicida. Promete a Lisete que vai terminar a história de Stella, mas é assaltado e perde o texto. O assaltante foge da polícia até se acidentar na mesma curva onde Daniel havia achado o manuscrito no começo da trama. Dona Lupe, a pérfida mãe de Beatriz, encontra o texto e completa a história de Stella. A ciclicidade da trama procura realçar o fato da repetição de certos padrões, como tantas vezes acontece na vida, fato esse revelado espetacularmente pela maioria dos mitos gregos.Esta história dentro de outra história faz com que seus quatro autores reflitam sobre a própria existência na medida em que cada um vai dando sua contribuição para a recriação do mito, encontrando forças para tentar mudar um destino que já parecia traçado. A história dos quatro autores revela os meandros da cidade grande e o conto que eles escrevem é cheio de vivências angustiadas, tramas policialescas e soluções mirabolantes até que as duas histórias encontram um ponto em comum e o mito de Níobe é desvelado. O texto pretende, assim, denunciar o ato de escrever como um mergulho nas águas da solidão ao identificar essa imersão como sendo a fonte da vida.