LIVRO La Golondrina: Romance PDF José Eustáquio Cardoso

BAIXAR LIVRO ONLINE

Resumo

Os amores de um menino a voejarem por asas de uma solitária e melancólica andorinha, desaninhada das ondas do rádio no desabrochar da existência. A vida passando devagar como águas de um rio eterno ou rodas cantantes de um antigo trem de ferro sobre os trilhos das voltas que o mundo dá. A poesia correndo na veia como sangue a transfundir-se por mãos entrelaçadas numa roda de canções. Casas de beira de linha habitadas por ternura e olhos mansos de uma família singela. Um grande e duradouro sonho de amor, coroado de paz.Francisco é um menino sensível e precocemente romântico que experimenta a primeira tristeza com o advento de doença da irmãzinha, de que decorre a venda, pelo pai, ferroviário sem recursos, do rádio da família como um dos meios para custear-lhe o tratamento. Ora, era o rádio que presenteava o garoto todas as noites com uma linda e triste canção, pano de fundo de novela ouvida pelos pais, daí associar a tristeza àquelas notas melancólicas em cujo enleio em sua imaginação voava a andorinha – la golondrina –, fugida um dia do quarto, da casa e da vida, posto continuasse a ver-se em fios de telégrafo. Daí por diante transcorre sua vida entre folguedos e alegrias e outras pequenas e grandes tristezas que lhe ocorrem, quase sempre ligadas a uma paixão que tão cedo o visita e abandona, deixando marcas de rejeição e a lembrança de outras canções que a memória ligaria aos amores perdidos. No fundo de todas, sempre as asas da andorinha que segundo a primeira música ouvida e sentida restara desolada e perdida, em razão de não haver conseguido migrar com as companheiras, na estação propícia.De outro lado, o trem de ferro, presença constante na vida daquela família de beira de linha, nômade por força da ânsia de pai e mãe por um lugar onde os filhos pudessem estudar, é para o menino, projetado poeta, “fascinante poema de tantas estrofes quantos fossem seus vagões e versos a sobrarem pelo rastro no trilho lustrado pelas rodas” e a simbolizarem o próprio passar da vida e a bênção do trabalho e do pão sobre a mesa. Ao longo de toda a história, para eterno encanto do menino, até mesmo quando este demora no homem que se torna, essa maravilhosa maria-fumaça corre, passando a fazê-lo em corações, quando um governo desalmado arranca trilhos daqui e dali, em nome de um progresso assassino da poesia.A música, de sua vez, assim a que dimana do rádio como a cantada pela mãe, enquanto lava roupa ou costura, ou enquanto simplesmente vive, permeia toda a história como outro símbolo, o do inefável carinho entre ela e o filho, a quem ensinou a acompanhá-la em dueto.Tudo isso até o apoteótico encontro por Francisco do verdadeiro e derradeiro amor, o que nunca mais o deixaria.